Minoxidil para Barba

Em algum momento você já deve ter ouvido falar do resultados que o remédio Minoxidil faz com a barba. Muito se tem comentado a respeito do tratamento e dos resultados que ele pode trazer. Vejamos se ele realmente é o melhor caminho para o crescimento da barba.

A primeira coisa que precisamos deixar claro é que este post está fundamentado em artigos científicos.

Porque estou falando disto? Hoje em dia muita gente comenta, na internet em geral, dos resultados, ganhos e tratamentos do remédio Minoxidil, mas a grande maioria não apresenta ou se embasa em informações confiáveis. Como estamos falando de saúde obviamente a fonte mais segura que podemos buscar a informação está em pesquisas realizadas pelos profissionais da área.

 

Mas afinal, o que é o Minoxidil?

 

O minoxidil é um produto utilizado desde o início da década de 80, como solução tópica, para o tratamento da perda de cabelo (alopecia padrão ou alopecia comum) e para a alopecia androgenética.
Estudos sugerem que o minoxidil atua por meio da abertura de canais de potássio sensíveis ao ATP, na musculatura lisa vascular, fazendo ela relaxar, e reduzindo a pressão sanguínea, sendo verificado que os folículos pilosos humanos contêm duas formas de canais de potássio ATP-sensíveis, sendo apenas um deles sensível ao minoxidil (SHORTER, 2008).
Apesar de ser bem complicado a definição acima, é importante para entendermos que o minoxidil é um vasodilatador periférico, ou seja, sua principal função é estimular o crescimento do cabelo e/ou barba.
Nos casos relatados pelo MACHADO 2011, os primeiros efeitos sobre a queda de cabelo se dão nas primeiras 8 semanas de tratamento, com diminuição e até a estabilização da queda(cf. Figura 7). Depois desse período ocorre o início do crescimento capilar.
Como no caso do pelos faciais não existe o período de queda, o inicio do crescimento da barba ocorre já nas primeiras semanas.

Como citado no artigo da doutora em dermatologia Denise Steiner, “Na região da barba, por exemplo, a ação androgênica favorece o engrossamento do fio, enquanto que nos indivíduos predispostos à calvície o andrógeno favorece a miniaturização dos pelos na região superior do couro cabeludo.”

 

 

 

http://bdm.unb.br/handle/10483/11049