Minoxidil para Barba

Em algum momento você já deve ter ouvido falar do resultados que o remédio Minoxidil traz para o crescimento da barba. Muito se tem comentado a respeito do tratamento e dos resultados esperados. Vejamos se ele realmente é o melhor caminho para o crescimento da barba.

 

Minoxidil barba

 

A primeira coisa que precisamos deixar claro é que este post está fundamentado em artigos científicos.

Porque estou falando disto? Hoje em dia muita gente comenta, na internet em geral, dos resultados, ganhos e tratamentos do remédio Minoxidil, mas a grande maioria não apresenta ou não se embasa em informações confiáveis. Como estamos falando de saúde obviamente a fonte mais segura que podemos buscar a informação está em pesquisas realizadas pelos profissionais da área. Tentaremos o máximos possível basear esse post nas pesquisas feitas na área e já documentadas.

 

Mas afinal, o que é o Minoxidil?

 

O minoxidil é um produto utilizado desde o início da década de 80, como solução tópica, para o tratamento da perda de cabelo (alopecia padrão ou alopecia comum) e para a alopecia androgenética.
Estudos sugerem que o minoxidil atua por meio da abertura de canais de potássio sensíveis ao ATP, na musculatura lisa vascular, fazendo ela relaxar, e reduzindo a pressão sanguínea, sendo verificado que os folículos pilosos humanos contêm duas formas de canais de potássio ATP-sensíveis, sendo apenas um deles sensível ao minoxidil (SHORTER, 2008).
Apesar de ser bem complicado a definição acima, é importante para entendermos que o minoxidil é um vasodilatador periférico, ou seja, sua principal função é estimular o crescimento do cabelo e/ou barba.
Nos casos relatados pelo MACHADO 2011, os primeiros efeitos sobre a queda de cabelo se dão nas primeiras 8 semanas de tratamento, com diminuição e até a estabilização da queda(cf. Figura 7). Depois desse período ocorre o início do crescimento capilar.
Como no caso do pelos faciais não existe o período de queda, o inicio do crescimento da barba ocorre já nas primeiras semanas.

Como citado no artigo da doutora em dermatologia Denise Steiner, “Na região da barba, por exemplo, a ação androgênica favorece o engrossamento do fio, enquanto que nos indivíduos predispostos à calvície o andrógeno favorece a miniaturização dos pelos na região superior do couro cabeludo.”

 

Minoxidil para a barba

 

A partir da comprovação da eficiência do produto pelo mundo acadêmico, se deu inicio á um processo de fabricação e comercialização por parte dos laboratórios. Um dos primeiros laboratórios a comercializar o minoxidil foi a Kirkland, mas sempre focado em produtos para tratamento da queda capilar. A partir de então alguns laboratórios fizeram o produto focado na barba e suas características, que diferem um pouco do couro cabeludo.

O medicamento pode ser usado para diferentes objetivos. Alguns já possuem um certo volume de barba no rosto, porém com algumas falhas em regiões específicas. Para estes casos o ideal é passar o produto somente na região da falha, fazendo com que a barba se torne uniforme.

Porém temos aqueles casos onde os pelos faciais são poucos ao longo do rosto (geralmente na região do cavanhaque e bigode). Neste caso a recomendação é passar o minoxidil ao longo de todo o rosto já que a ideia é o crescimento geral da barba.

Em ambos os casos, seja o seu rosto sem barba alguma, ou com uma barba porém falhada, os resultados mostram a eficiência do produto.

 

Minoxidil original X manipulado

 

Você encontrará no mercado o produto de empresas tradicionais como a Kirkland que citamos anteriormente mas também encontrará uma boa variedade de produtos feitos em laboratórios manipulados.

Faz diferença? Na prática, não. Hoje em dia o composto e as substancias usadas pelas farmácias de manipulação são as mesmas usadas pelos grandes laboratórios. E o fato de se pagar menos pelos produtos manipulados pode também ser o fator de decisão em muitos os casos. A maioria dos nossos relatos são baseados em clientes que usaram a versão manipulada.

 

Solução

 

Existem concentrações diferentes do produto. A mais comercializada é a solução a 5%, recomendada para quase todos os casos. Os laboratórios também possuem versões em solução de 2% (ineficiente) e chegando até 15% para casos mais graves.

(OBS: caso esteja pensando em um minoxidil com uma concentração maior que 5%, procure uma orientação médica para o uso).

Para aqueles que queiram complementar o tratamento do minoxidil tem também as loções fortalecedoras que atuam de forma complementar, reforçando ainda mais os efeitos do minoxidil.

 

Barbeks

 

Modo de usar o Minoxidil

 

Além do produto em si é interessante tomar alguns cuidados. Fizemos um passo-a-passo do procedimento que mais potencializa o uso do minoxidil.

  1. Lave o rosto: O objetivo aqui é desobstruir os poros, dissolver a sujeira, bem como remover o excesso de oleosidade. Isso fará com que o produto penetre mais facilmente na pele
  2. Toalha quente: Muito comum nas barbearias, a toalha quente é a maneira mais simples de aplicação do vapor na face.
  3. Aplique o minoxidil: Você pode aplicar o produto com a ponta dos dedos, distribuindo uniformemente onde quer que a barba cresça. Caso prefira, pode-se usar um cotonete para maior precisão.

 

Resultados

 

 

Dosagem recomendada

A aplicação recomendada é de 1ml a cada 12 horas, sendo 2ml a dosagem máxima recomendada por dia. Essa quantidade é baseada no tratamento com minoxidil 5%, que é o mais comercializado atualmente no mercado.

Para evitar qualquer tipo de efeito colateral, não se exponha ao sol por no mínimo 30 minutos. Após a aplicação lave bem a mão.

 

 

 

Trabalhos científicos usados usados para o desenvolvimento deste post:

Estudo de pré-formulação para o desenvolvimento de sistemas sólidos à base de minoxidil sulfato – Duarte, Natane Castelo Branco – http://bdm.unb.br/handle/10483/11049

 

MATOS, B. N. Desenvolvimento de uma formulação tópica contendo nanopartículas de quitosana como estratégia para aumentar a penetração folicular do minoxidil sulfato no tratamento da alopecia androgênica. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas da Universidade de Brasília. 2014

 

MACHADO FILHO, C. B. Alopécia androgenética masculina: revisão e atualização em tratamentos. Trabalho apresentado ao curso de Pós-Graduação de Medicina Estética da Universidade Tuiuti do Paraná. Curitiba, 2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *